Proteínas de baixo peso molecular do plasma seminal bovino relacionadas com a congelabilidade do sêmen através de eletroforese bidimensional em gel de poliacrilamida

Authors

  • Maria Inês Mascarenhas Jobim UFRGS
  • Eneder Rosana Oberst UFRGS
  • Christianne Gazzana Salbego UFRGS
  • Diogo Onofre Souza UFRGS
  • Vera Beatriz Wald UFRGS
  • Rodrigo Costa Mattos UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-9216.16967

Keywords:

Proteínas, Plasma seminal, Congelabilidade, Eletroforese

Abstract

A eletroforese bidimensional em géis de poliacrilamida representa uma técnica valiosa para separação e caracterização das proteínas e através deste método muitas proteínas do plasma seminal de várias espécies foram descritas e caracterizadas. O objetivo do presente estudo foi relacionar o perfil das proteínas de baixo peso molecular do plasma seminal bovino com a congelabilidade do sêmen. O plasma seminal de 16 reprodutores bovinos de maior e menor congelabilidade foram utilizados neste estudo. Foram encontradas 12 bandas protéicas nas amostras de plasma seminal analisadas nos géis SDS-PAGE a 15%. Apenas 6 das 12 bandas foram detectadas em todos os ejaculados estudados, sendo que somente as bandas protéicas 3 (15-16kDa; pI 4,7-5,2), 5 (16-17kDa; pI 4,1-4,8) e 7 (10-12kDa; pI 4,8-4,9) não apresentaram variação significativa entre as amostras de plasma seminal dos reprodutores. Das proteínas analisadas neste estudo, 4 apresentaram-se quantitativamente superiores (P<0,05) nas amostras dos reprodutores pertencentes ao grupo de maior congelabilidade, as bandas 3 (15-16kDa; pI 4,7-5,2), 7 (11-12kDa; pI 4,1-4,8), 11 (13-14kDa; pI 6,90-6,50) e 23 (18-20kDa; pI 4,8-5,2), enquanto que a banda protéica 25 (25-26kDa; pI 6,0-6,5) mostrou-se significativamente superior (P<0,05) nos reprodutores de menor congelabilidade do sêmen. As evidências encontradas neste experimento mostram que existem diferenças no perfil protéico dos reprodutores com maior e menor congelabilidade do sêmen, sugerindo as proteínas 3, 7, 11, 23 como possíveis marcadores da congelabilidade do sêmen e a proteína 25 como indicativo da menor congelabilidade do sêmen.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Maria Inês Mascarenhas Jobim, UFRGS

Eneder Rosana Oberst, UFRGS

 

 

Setor de Inseminação Artificial, Departamento de Patologia Clínica Veterinária (DPCV), Faculdade de Veterinária (FAVET), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Christianne Gazzana Salbego, UFRGS

 

 

Departamento de Bioquímica, Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS) - UFRGS

Diogo Onofre Souza, UFRGS

 

 

Departamento de Bioquímica, Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS) - UFRGS

Vera Beatriz Wald, UFRGS

Departamento de Medicina Animal/FAVET - UFRGS.

Rodrigo Costa Mattos, UFRGS

Departamento de Medicina Animal/FAVET - UFRGS.

Published

2018-06-27

How to Cite

Jobim, M. I. M., Oberst, E. R., Salbego, C. G., Souza, D. O., Wald, V. B., & Mattos, R. C. (2018). Proteínas de baixo peso molecular do plasma seminal bovino relacionadas com a congelabilidade do sêmen através de eletroforese bidimensional em gel de poliacrilamida. Acta Scientiae Veterinariae, 31(1), 21–30. https://doi.org/10.22456/1679-9216.16967

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)