Técnicas de contenção química em cachorro-do-mato (Cerdocyon thous)

Authors

  • Daniela Cristina Farias UFMT
  • Luiz Paulo dos Santos Vasconcelos UFMT
  • Nívia Rocha Turbino UFMT
  • Samuel Monzem UFMT
  • Michele Ângelo Luiz UFMT
  • Regina Célia Paz UFMT
  • Luciana Dambrósio Guimarães UFMT

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-9216.16344

Keywords:

Anestesia, Anstesia dissociativa, Animais selvagens, Cerdocyon thous

Abstract

Há grande deficiência na literatura sobre os efeitos dos anestésicos dissociativos em animais silvestres. O objetivo do trabalho foi determinar os efeitos de diferentes protocolos anestésicos em cachorros-do-mato. Foram utilizados cinco animais machos, clinicamente sadios. Após 12 horas de jejum sólido, cada animal foi submetido a três protocolos de anestesia dissociativa (quetamina e xilazina – QX, quetamina e midazolam – QM e tiletamina e zolazepam – TZ) com intervalo de 30 dias entre eles. As variáveis avaliadas foram: período de latência; período hábil de anestesia; qualidade da indução, manutenção e recuperação anestésica. Foram avaliados frequência cardíaca (FC), saturação de oxihemoglobina (SpO

 

2), ritmo cardíaco, frequência respiratória (FR), temperatura corporal (TC) e relaxamento muscular aos cinco minutos após o período de latência e a cada 10 minutos durante o período de manutenção anestésica (M10 a M40). Os dados paramétricos foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey, para comparação entre as médias dos grupos e dos tempos, sendo que as diferenças foram consideradas significativas quando p<0,05. O grupo QX apresentou um menor valor de FC em relação aos demais grupos em todos os momentos e observou-se maior incidência de arritmia sinusal. A FR apresentou menores valores no grupo QX em relação ao TZ. A SpO2 apresentou diferença do grupo QX em relação ao QM somente no momento M10, sendo inferior neste último. Não foram observadas diferenças significativas no tempo de latência entre os grupos e os animais apresentaram boa qualidade de indução e recuperação, não apresentando efeitos adversos. Concluiu-se que a associação de quetamina e xilazina deve ser utilizada com cautela, pois proporciona maior redução na frequência cardíaca e arritmias.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Daniela Cristina Farias, UFMT

Luiz Paulo dos Santos Vasconcelos, UFMT

 

 

Graduação, FAMEV-UFMT.

Nívia Rocha Turbino, UFMT

 

 

Pós-graduação, Curso de Ciências Veterinárias, UFMT

Samuel Monzem, UFMT

 

 

Graduação, FAMEV-UFMT.

Michele Ângelo Luiz, UFMT

 

 

Graduação, FAMEV-UFMT.

Regina Célia Paz, UFMT

 

 

Departamento de Ciências Básicas e Produção Animal, FAMEV-UFMT.

Luciana Dambrósio Guimarães, UFMT

 

 

Departamento de Clínica Médica Veterinária, FAMEV-UFMT.

Published

2018-03-30

How to Cite

Farias, D. C., Vasconcelos, L. P. dos S., Turbino, N. R., Monzem, S., Luiz, M. Ângelo, Paz, R. C., & Guimarães, L. D. (2018). Técnicas de contenção química em cachorro-do-mato (Cerdocyon thous). Acta Scientiae Veterinariae, 37(3), 265–269. https://doi.org/10.22456/1679-9216.16344

Issue

Section

Short Communication

Most read articles by the same author(s)

> >>