Comer Viajante: Uma Incursão pela Alimentação em Diferentes Países

Constance Oderich, Eliziane Nicolodi Francescato Ruiz

Resumo


Resumo: Em uma viagem de bicicleta por estradas francesas, espanholas, marroquinas e portuguesas, estando-se exposto à alteridade durante três meses, diferenças no comer geraram estranhamentos e questionamentos. Assim, o objetivo deste estudo é analisar experiências de viagem relacionadas à comida e ao ato de comer em distintas culturas. Com abordagem qualitativa, utilizou-se o referencial teórico da socioantropologia da alimentação para analisar os diários de campo produzidos na viagem. Foram identificadas e apreendidas características essenciais da alimentação de cada país: o valor do ritual da alimentação, da comensalidade e da tradição, na França; o significado mais íntimo da dieta Mediterrânea como patrimônio cultural alimentar; o peso e os reflexos da religião e das condições materiais no comer cotidiano marroquino; e referente a Portugal fez-se uma reflexão crítica sobre a herança alimentar na formação e consolidação da cozinha brasileira. Conclui-se o quanto a alimentação é interligada ao contexto sociocultural, sendo indispensáveis estudos socioantropológicos para que profissionais da saúde compreendam o fenômeno alimentar.

 

 

Palavras-chave: Cultura Alimentar. Antropologia da Alimentação. Etnografia.

 

 

 

Abstract: Exposed to otherness during a three-month bicycle trip on the roads across France, Spain, Morocco and Portugal, differences in eating generated strangeness and questioning. This paper’s main goal is to analyze the experiences of traveling focusing on food and to reflect on the construction of different cuisines. A qualitative approach was applied and socio-anthropological references were followed in order to analyze travel journals written during this trip. It was possible to identify and learn about each country’s essential characteristics. In French cuisine, commensality and tradition are remarkable, as well as the meals rituals. Furthermore, in this country and in Spain, strong characteristics of Mediterranean diet were noticed. In Moroccan cuisine, religious and economical aspects are significantly more important than in European countries. In Portugal, a critical analysis of the origins of Brazilian kitchen was achieved. Thus, this article concludes how much food is interconnected with socio-cultural context, being indispensable socio-anthropological studies for health professionals to understand the food phenomenon.

 

Keywords: Food culture. Anthropology and Nutrition. Ethnography.


Palavras-chave


Cultura Alimentar. Antropologia da Alimentação. Etnografia.

Texto completo:

117-144 PDF

Referências


BARBOSA, Lívia. Feijão com arroz e arroz com feijão: o Brasil no prato dos brasileiros. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v.13, n. 28, p. 87-116, dez 2007.

BESSIS, Sophie. Mille et une bouches: cuisines et identités culturelles. Paris: Autrement, 1995.

CANESQUI, Ana M.; GARCIA, Rosa.W.D. Antropologia e Nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

CASCUDO, Luís C. História da Alimentação no Brasil. 4. ed. São Paulo: Global, 2011.

CONTRERAS, Jesús; GRACIA, Mabel. Alimentação, sociedade e cultura. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2011.

CONTRERAS, Jesús. Patrimônio e Globalização: o caso das culturas alimentares. In: CANESQUI, Ana M.; GARCIA, Rosa.W.D. Antropologia e Nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

FEATHERSTONE, Mike. Cultura de consumo e pós-modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

FERLINI, Vera L. A. A Civilização do Açúcar Séculos XVI a XVIII. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

FISCHLER, Claude; MASSON, Estelle. Comer: a alimentação de franceses, outros europeus e americanos. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2010.

FISCHLER, Claude. El (h)omnívoro: el gusto, la cocina y el cuerpo. Barcelona: Anagrama, 1995.

FLANDRIN, Jean L.; MONTANARI, Massimo. História da alimentação. 8. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2015.

GEERTZ, Clifford. Nova Luz sobre a Antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

GRACINDO, Ina. Viagem ao mundo do chá. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013.

KEDDIE, Nikki R; BARON, Beth. Women in the Middle Eastern History. Yale University Press, 1993.

LAPLANTINE, Fraçois. Aprender Antropologia. 15. ed. São Paulo: Brasiliense, 2003.

LEMPS, Alain H. As bebidas coloniais e a rápida expansão do açúcar. In: FLANDRIN, Jean. L.; MONTANARI, Massimo. História da alimentação. 8. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2015.

LIMA, Romilda S.; NETO, José A. F.; FARIAS, Rita C. P. Alimentação, comida e cultura: o exercício da comensalidade. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 3, p. 507-522, jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2018.

MACIEL, Maria E. Cultura e Alimentação ou o que têm a ver os macaquinhos de Koshima com Brillat-Savarin? Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 7, n. 16, p. 145-156, dez. 2001

MACIEL, Maria E. Uma cozinha à brasileira. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 33, p. 25-39, jun. 2004

MICHEL, Franck. Désirs d’ailleurs: essai d’anthropologie des voyages. Paris: Armand Colin, 2000.

MONTANARI, Massimo. Comida como cultura. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2008.

OLDWAYS. Mediterranean Diet Pyramid: A contemporary approch to delicious, healthy eating, 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 mai. 2018. Oldways Preservation and Exchange Trust.

ORTIGOZA, Silvia A. G. Mudanças e persistências dos hábitos alimentares no Brasil e seus impactos no espaço urbano. In: Encontro de Geógrafos da América Latinam 8., Santiago, 2001. Anais... Santiago, 2001. Disponível em: . Acesso em: 5 abr. 2018.

PEIXOTO, Nelson B. Cenários em ruínas. São Paulo: Brasiliense, 1987

PEYER, Hans C. Os primórdios da hotelaria na Europa. In: FLANDRIN, Jean. L.; MONTANARI, Massimo. História da alimentação. 8. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2015.

POULAIN, Jean P. Sociologias da Alimentação: os comedores e o espaço social alimentar. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004.

RODRIGUES, Carlos E. A influência da alimentação em quem somos. Diálogos e Saberes, Mandaguari, v.12, n. 1, p. 9-24, 2016

RODRIGUES, Heloísa A. F. Alimentação como fonte de sociabilidade e de hospitalidade. Sinais: Revista Eletrônica Ciências Sociais, Vitória, v. 1, n. 12, p. 85-100, dez. 2012.

ROSENBERGER, Bernard. A cozinha árabe e sua contribuição à cozinha europeia. In: FLANDRIN, Jean. L.; MONTANARI, Massimo. História da alimentação. 8. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2015.

STACEY, Aisha. Saúde no Islã: Dieta e Nutrição. Islam Religion, 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2018

UNESCO, UNITED NATION EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION. Decision of the Intergovernmental Committee: 8.COM 8.10. Baku, 2013. Disponível em: < https://ich.unesco.org/en/décisions/8.COM/8.10>. Acesso em: 7 mai. 2018.

ZIMERMAN, David E. Etimologia de termos psicanalíticos. Porto Alegre: Artmed, 2012.

ZUIN, Luís F. S.; ZUIN, Poliana B. Alimentação é cultura: aspectos históricos e culturais que envolvem a alimentação e o ato de se alimentar. Nutrire: Revista da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, São Paulo, v. 34, n. 1, p. 225-241, abr. 2009.




DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.97329

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - NUPECS/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191