“Alimentar-Comer”: Substâncias Sociáveis e Sutis no Repasto Ritual do Candomblé Teresinense

Fernanda da Silva Costa Soares, Celso de Brito, Potyguara Alencar dos Santos

Resumo


RESUMO: O texto explora a relação entre as dimensões sociáveis e sutis subjacentes aos regimes de transformação dos alimentos em “comidas de santo” no candomblé. Para tanto, se utiliza de excerto etnográfico sobre o ambiente ritual da casa Ilê Asé Opásoró Fadaka, primeiro terreiro da cidade de Teresina, Piauí, do qual conduz o relato da Festa de Ogun, Oxossi e Osanyin. Aproveita-se para pôr em reflexão a existência de um possível campo de agenciamento simétrico entre os gestuais do “alimentar” (servir) e do “comer” (servir-se), que supomos acontecer toda vez que o repasto sagrado do panteão é substancial, sutil e reciprocamente repartido com a comunidade de culto religioso.

Palavras-chave: Substâncias; Alimento; Comidas de santo; Regimes de transformação.

 

 

ABSTRACT: The article explores the relationship between the sociable and subtle dimensions that underlie candomblé food-processing regimes. To this end, it uses the ethnographic exception of the ritual environment of the house Ilê Asé Opásoró Fadaka, the first Candomblé yard in the city of Teresina, Piauí, at the Feast of Ogun, Oxossi and Osanyin. It takes the opportunity to reflect on the existence of a possible symmetrical agency field between the actions of “food” (to serve) and “eating” (being served), which we assume happen every time the pantheon's sacred meal is substantial and reciprocally divided with the cult community religious.

Keywords: Substances; Food; Saint foods; Regimes of transformation.


Palavras-chave


Substâncias; Alimento; Comidas de santo; Regimes de transformação.

Texto completo:

348-365 PDF

Referências


ABIMBOLA, Wande. “A concepção iourubá da personalidade humana” [Tradução, notas e comentário: Luiz L. Marins]. Colóquio Internacional para A Noção de Pessoa na África Negra. Paris: Centre National de laRechercheScientifique, n.º 544, 1971, p. 1-21.

AGUIAR, Janaina Couvo Teixeira Maia de. “Cadê meu ajeum?” A comida e seus vários significados nos terreiros de candomblé de Aracaju. I Seminário sobre Alimentos e Manifestações Culturais Tradicionais. Universidade Federal da Bahia, 2012, p. 1-15.

ANSPACH, Mark Rogin. À charge de revanche: figures élémentaires de laréciprocité. Paris: Éditions Du Sul, 2002.

ARRAIS, Lucrécio. Edarlane de Ayrá: a yalorixá (mãe de santo) mais jovem do Piauí.Jornal Meio Norte, Teresina/PI, 09 mar. 2019. Acessado em: 02 jul. 2019. Disponível em: https://www.meionorte.com/noticias/edarlane-de-ayra-a-iyalorixa-mae-de-santo-mais-jovem-do-piaui-357109.

BANAGGIA, Gabriel. Inovações e controvérsias na antropologia das religiões afro-brasileiras. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ/MN), Rio de Janeiro, 2008.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira/Editora Lucerna, 2009.

BELTRAME, Ideraldo Luiz; MORANDO. Marsal. “O sagrado na cultura gastronômica do Candomblé”. In _________ Antropologia e saúde. 2008, v. 05, n.º26, p. 242-248.

CARVALHO, José Jorge de. “A economia do axé: os terreiros de matriz afro-brasileira como fonte de segurança alimentar e rede de circuitos econômicos e comunitários”. In ARANTES, Luana Lazzeri; RODRIGUES, Monica (orgs.). Alimento: direito sagrado. Pesquisa socioeconômica e cultural de Povos e Comunidades Tradicionais de Terreiros. Brasília: MDS, 2011, p. 37-62.

DOMINGOS, Luis Tomás. “Visão africana em relação à natureza”. In Anais do III Encontro Nacional da Associação Nacional de História ANPUH – GT história das religiões e das religiosidades. In Revista Brasileira de História das Religiões. Maringá (PR) v. III, n.9, jan/2011, p. 1-16.

DOUGLAS, Mary. “Clasificado como comestible”. In ______ Estilos de pensar. Barcelona: Gedisa Editorial, 1998, p. 153-166.

HAMPATÉ BÂ, Amadou. “A noção de pessoa na África Negra” [Tradução: Luiza Silva Porto Ramos e Kelvlin Ferreira Medeiros]. HAMPÂTÉ BÂ, Amadou. “La notion de personneen Afrique Noire”. In: DIETERLEN, Germaine (ed.). La notion de personneen Afrique Noire. Paris: CNRS, 1981, p. 181-192.

LA CADENA, Marisol de; BLASER, Mario. A world of many worlds. Durham e London: Duke University Press, 2018.

LANNA, Marcos. Nota sobre Marcel Mauss e o ensaio sobre a dádiva. Rev. Sociol. Polit. 2000, n. 14, pp.173-194.

LODY, Raul. Santo também come. Rio de Janeiro:Pallas, 1998.

LUZ, Lila Cristina Xavier Luz; SILVA, Vânia Reis Valéria; CAVALCANTE, Francisca Verônica. A condição juvenil em Teresina. Teresina: EDUFPI, 2013.

MASCARIN, Tereza de Fatima. Comidas de orixás: aspectos relevantes que fazem parte do cotidiano no terreiro de candomblé. In Anais do IV Encontro Nacional do GT História das Religiões e das Religiosidades – ANPUH– Memória e Narrativas nas Religiões e nas Religiosidades. Revista Brasileira de História das Religiões. Maringá (PR), V, n.15, jan/2013, p. 1-20.

MAIA, Vasconcelos. A B C do candomblé. São Paulo: GRD, 1985.

MAUSS, Marcel [1923-24]. Ensaio sobre a dádiva. Forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In : _______. Sociologia e Antropologia. v. II. São Paulo: Edusp, 1974.

MINTZ, Sidney. Comida e antropologia: uma breve revisão. RBCS, v. 16, n. 47, p. 31-41, 2001.

NADALINI, A. P. Comida de santo na cozinha dos homens: um estudo da ponte entre alimentação e religião.Universidade Federal do Paraná, 2009.

NASCIMENTO, Wanderson Flor do. Alimentação socializante: notas acerca da experiência do pensamento tradicional africano. Revista Das Questões, v. 2, p. 62-74, 2015.

RABELO, Miriam C. M. Rabelo. Os percursos da comida no candomblé de Salvador. Papeles de Trabajo, Año 7, n. 11, mayo de 2013, pp. 86-108.

SANTOS, Rafael Camaratta. A circulação do Axé através do movimento da comida: uma etnografia em um terreiro de candomblé da Bahia. Dissertação (Mestrado em Sociologia - UFRJ), Rio de Janeiro, 2018.

STENGERS, Isabelle. “The challenge of ontological politics”. In. LA CADENA, Marisol de; BLASER, Mario. A world of many worlds. Durham e London: Duke University Press, 2018, p. 83-11.

STRATHERN, Marilyn. Eating (and feeding). The Cambridge Journal of Anthropology, v. 30, n. 2, p. 1-14, 2012.

VILAÇA, Aparecida. Strange enemies: indigenous agency and scenes of encounters in Amazonia. Durham: Duke University Press, 2010.

WIREDU, Kwasi. “African religions from a philosophical point of view”. In TALIAFERRO, Charles; DRAPER, Paul; QUINN, Philip L. (eds.). A companion to philosophy of religion. Malden; Oxford; West Sussex: Blackwell, 2010, p. 34-43.




DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.95298

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - NUPECS/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191