Primeiros passos na "Vila do IAPI": introdução a um estudo etnográfico das práticas cotidianas de um bairro de Porto Alegre

Rafael Derois, Cornelia Eckert

Resumo


Dar início a um estudo antropológico num bairro tradicional de Porto Alegre implicou a formulação de uma metodologia a permitir o desenvolvimento do mesmo. Assim, no caso por mim experimentado, os primeiros passos foram dados numa dupla perspectiva. Ao mesmo tempo em que buscava uma aproximação com a Vila do IAPI, um conjunto residencial construído nos idos das décadas de 1940/50, e destinado, principalmente, a atender a demanda por habitação da população operária, estando, espacialmente, integrado no bairro Passo d’Areia, zona Norte de Porto Alegre, combinei constantes visitas as suas ruas, ladeiras, praças e escadarias, com os esforços na obtenção de documentos históricos diversos que me permitissem pensar a memória desta região na conformação da vida urbana de Porto Alegre.

 

A inspiração deste trabalho surge, assim, com os comentários de M. DE CERTEAU sobre a relação entre uma perspectiva que busca pensar o fenômeno urbano de maneira racional, tão próxima dos agentes do planejamento urbano, e a ação dos habitantes deste mesmo ambiente, que, no entrecruzamento de seus caminhos cotidianos, reinventam esta “cidade-conceito”, defendida pelos teóricos simpatizantes da primeira perspectiva apontada. Neste sentido, adotei a caminhada livre como técnica de investigação do espaço compreendido pela Vila do IAPI e suas fronteiras com o bairro Passo da Areia onde ela se situa. Foram estes deslocamentos que orientaram minhas primeiras observações da paisagem local, provocando a reconhecer as suas peculiaridades em relação a outras regiões do bairro Passo da Areia. Portanto, caminhadas e conversas com moradores somam-se a uma pesquisa bibliográfica, resultando como produto um mapeamento da Vila do IAPI na memória coletiva da comunidade porto-alegrense, vindo a compor um conjunto de documentos de valor histórico e cultural para os seus moradores, requisito básico para criação de coleções etnográficas sobre a conformação desta região na cidade de Porto Alegre.

 

Este ensaio oferece uma breve síntese desta primeira aproximação com um trabalho de pesquisa antropológico no mundo urbano de Porto Alegre a partir de alguns pontos de interpretação por mim sugeridos como forma de pensar a trajetória de formação da Vila do IAPI.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.9223

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191

iluminuras@ufrgs.br