Comércio religioso da flora "sete flexas": territorialidade que conforma o centro de Porto Alegre

Fabiana Ferracini, Ana Luiza Carvalho da Rocha

Resumo


Esta etnografia está inserida no trabalho das coleções etnográficas do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV, o qual se desenvolve sob a coordenação de Ana Luiza Carvalho da Rocha e Cornelia Eckert. O BIEV foi fundado em 1997 e pertence ao Núcleo de Pesquisa sobre Culturas Contemporâneas – NUPECs, ao Laboratório de Antropologia Social e ao Programa de Pós-graduação em Antropologia Social-PPGAS, da UFRGS com os quais desenvolve, junto ao CNPq, Projeto Integrado de Pesquisa. O Banco possui duas versões: o BIEV-data que se constitui num conjunto de documentos textuais, sonoros, fotográficos e videográficos, oriundos dos diversos estudos antropológicos sobre a vida urbana da cidade de Porto Alegre realizados por seu grupo de pesquisadores e bolsistas de iniciação científica. O BIEV-site (www.estacaoportoalegre.ufrgs.br) é o espaço virtual onde são cruzadas as informações cadastradas na Base de Dados do Banco. Dentre os projetos de pesquisa que compõem o Banco estão “Estudos antropológicos das formas de sociabilidade, itinerários urbanos e memória coletiva no mundo urbano contemporâneo”, “Feições dos Medos e das Crises no Ritmo das Sociabilidades Cotidianas na Cidade: Estudo Etnográfico” e “Coleções Etnográficas, Estética Urbana e Patrimônio Etnológico na Era das Textualidades Eletrônicas”. Suas produções são compostas por “Documentos Etnográficos”, “Exposições Fotográficas”, “Etnografias Sonoras”, “O Vídeo ao Rés-do-Chão” e o “Iluminuras”, um conjunto de publicações sobre os estudos etnográficos urbanos.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.9203

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191