A rua como estilo de vida: práticas cotidianas na ocupação do centro de Porto Alegre por camelôs

Rosana Pinheiro Machado

Resumo


Este pesquisa é fruto de uma etnografia que teve início no ano de 1999, quando cursava o segundo semestre de Ciências Sociais e iniciava-me como pesquisadora de iniciação científica/FAPERGS no Projeto Banco de Imagens e Efeitos Visuais, PPGAS/UFRGS, coordenado pelas Profas. Dras. Cornelia Eckert e Ana Luiza Carvalho da Rocha. Durante esses três anos, desenvolvi esse estudo no âmbito da Antropologia Urbana e Visual e dentro das mais variadas disciplinas oferecidas pelo Curso de Ciências Sociais que exigiam trabalhos de campo e/ou monografias.

O trabalho que segue tem por objetivo apresentar a ocupação social do Centro de Porto Alegre por vendedores de rua (camelôs). Na primeira parte segunda, faço uma reflexão metodológica acerca de meu trabalho de campo com o grupo estudado. Trata-se de uma análise das possibilidades e dos limites da investigação etnográfica no meio urbano, apreendida num processo de iniciação ao trabalho antropológico. A segunda consiste numa retomada histórica, analisando a emergência desse tipo de atividade comercial na cidade; bem como os grupos atuais que compõem o cenário urbano local. Por fim, na última parte, procuro narrar um pouco das práticas cotidianas e das condições de vida camelôs.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.9156

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191