Da feitiçaria à luta por direitos. Qual o lugar dos afetos no trabalho etnográfico?

Tiago Lemões

Resumo


Discuto, neste artigo, três experiências etnográficas de autores distintos que privilegiaram relações de afecção estabelecidas com os interlocutores e seus universos de significação: a feitiçaria em uma comunidade rural francesa; o cruzamento da religião afro-brasileira com a política na Bahia; e a luta política em torno das reivindicações de direitos da população em situação de rua em Porto Alegre – esta última  vivenciada por mim em pesquisa de doutorado ainda em curso.  A noção de afecção é desenvolvida nestas experiências a partir da centralidade cedida às relações involuntárias e não-intencionais cujas mesmas forças e intensidades que afetam os interlocutores também afetam os pesquisadores. De minha parte, narro a experiência de inserção em campo a partir de crises e dilemas e, ao fim, evidencio o quanto ser afetado (pelo meu envolvimento nas investigações do suposto assassinato de um interlocutor) possibilitou tanto a edificação de um lugar analítico sobre as crises quanto o acesso a outro ângulo de percepção sobre as formas de luta coletiva daquelas pessoas. 

Palavras-chave: Afecção. Observação participante. Experiência etnográfica.

From witchcraft to fighting for rights. What is the place of affection in ethnographic work?

Abstract 

In this paper I discuss three different experiences of ethnographic work that privileged relations of affection among the interlocutors and their universes of significance. These researches were about witchcraft in a French rural community; the intersection between African-Brazilian religion and politics in Bahia; and the political struggle of the homeless population in Porto Alegre –an experience I had during my ongoing doctoral research. The concept of affection is developed in these experiments by the centrality of the unintentional relations which strengths and intensities affect both the interlocutors and the researchers.  Specifically about my work, I describe the insertion of fieldwork experience by the perspective of crises and dilemmas and, at the end, I made evident how much be affected (by my involvement in the investigation of an alleged brutal murder of an interlocutor) has enabled the construction of both an analytical perspective to understand these crises and an access to another perception angle to see the forms of collective struggle of those people.

Key words: Affection. Participant observation. Ethnographic experience.

 


 


Texto completo:

32-60 PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.59147

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191