“Habitantes do Arroio”: estudo de conflitos de uso de águas urbanas, risco e vulnerabilidade em Porto Alegre-RS

Ana Paula Marcante Soares

Resumo


Esse ensaio propõe uma reflexão sobre práticas e representações sociais de meio ambiente e seus respectivos “usos” engendradas por diferentes indivíduos e/ou grupos sociais, em um contexto urbano, em face de situações de risco e vulnerabilidade. Os questionamentos e reflexões propostos advêm da minha inserção como pesquisadora no Projeto de Pesquisa e Ação denominado “Habitantes do Arroio: estudo de conflitos de uso de águas urbanas, risco, saúde pública e comunidades étnicas em Porto Alegre-RS”. O projeto obteve financiamento do CNPq e é desenvolvido conjuntamente por pesquisadores que integram o grupo de pesquisa Banco de Imagens e Efeitos Visuais (Laboratório de Antropologia Social – PPGAS/UFRGS) e pela ONG Instituto Anthropos. De testemunhos, depoimentos e as observações resultantes da pesquisa, seguindo o recorte teórico-conceitual que fundamenta os problemas propostos pelo projeto, proponho tecer alguns questionamentos sobre os sistemas de práticas e valores que entram em jogo no caso dos conflitos envolvendo as águas num contexto urbano, no caso a sub-bacia do Arroio Dilúvio, em Porto Alegre/RS.

Palavras-chave


Meio ambiente, Risco, Conflito, Práticas sociais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.18330

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191