Cultura do trânsito em Porto Alegre: etnografia da Companhia Carris Porto-Alegrense nas narrativas de seus trabalhadores e habitantes da cidade

Henrique Palaver Dallago, Cornelia Eckert (orientação)

Resumo


Este artigo trata da cultura do trânsito a partir de uma etnografia desenvolvido junto aos trabalhadores da Companhia Carris Porto-Alegrense (CARRIS). A partir de suas narrativas, reconstrói-se suas trajetórias relacionadas a sua inserção na empresa e sua relação com a cidade mediada pela perspectiva do seu cotidiano de deslocamento e de trânsito. Desvenda-se experiências geracionais em que funcionários entrevistados se reconhecem suas trajetórias singulares na pluralidade e diversidade histórica e patrimonial da Companhia e da cidade. Analisa-se privilegiadamente o projeto Memória da Carris em que um narrador privilegiado é guardião e personagem. A pesquisa desenvolve uma reflexão sobre a memória e a duração construindo narrativas de imagens produzidas no processo da pesquisa e estudadas no acervo do Banco de Imagens e Efeitos Visuais (PPGAS, UFRGS).


Palavras-chave


Cultura do trânsito, memória coletiva, Companhia Carris, trabalhadores urbanos, trajetórias sociais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.11832

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - NUPECS/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191