De Feira Nordestina a Centro de Tradições: a construção da identidade nordestina no Rio de Janeiro

Vitor Rebello Ramos Mello

Resumo


Resumo: Este estudo etnográfico discute o processo de construção de identidades dos migrantes nordestinos na cidade do Rio de Janeiro, tendo como referência a transformação da Feira de São Cristóvão no Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. Parte integrante da dissertação Memórias repentinas: a construção poética do Nordeste pelos repentistas da Feira de São Cristóvão (RJ) defendida no Programa de Pós-Graduação em Memória Social/ UNIRIO[1], a presente análise faz uso da ideia de sociodinâmica da estigmatização para compreender as relações estabelecidas entre cariocas e nordestinos, bem como utiliza o conceito de lugares de memória para entender a importância da Feira enquanto bastião da cultura para a população migrante. Para tanto, fez-se um trabalho de campo entre 2010 e 2012, realizando observação não-participante e entrevistas semiestruturadas com atores sociais locais, além de pesquisa na hemeroteca digital do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular e revisão bibliográfica sobre o tema. 

Palavras chave: Feira de São Cristóvão. Identidade Nordestina. Nordeste. Rio de Janeiro

 

 

FROM A REGIONAL FAIR INTO A CENTRE OF TRADITIONS: THE CONSTRUCTION OF THE BRAZILIAN NORTHEASTERN IDENTITY IN RIO DE JANEIRO.

 

 

Abstract: This ethnographic study discusses the process of northeastern migrants' construction identities in the city of Rio de Janeiro, taking as reference the change of the São Cristóvão Fair into the Luiz Gonzaga Municipal Centre of Northeastern Traditions. As part of the dissertation Sudden memories: the poetic construction of the northeast region by the troubadours of the São Cristóvão Fair (RJ) defended in the Post-Graduation Program in Social Memory / UNIRIO, the present analysis makes use of the ideia of the sociodinamic of stigmatization to understand the relationships established between cariocas and northeasterners, using as well the concept of places of memory to comprehend the importance of the Fair as a bastion of culture for the migrant population. To this end, a fieldwork was performed out between 2010 and 2012, with a non-participant observation and semi-structured interviews with local social actors. Besides, researches were made in the digital library of the National Center for Folklore and Popular Culture and a bibliographic review about the topic. 

Keywords: São Cristóvão Fair. Brazilian northeastern identity. Brazilian northeast. Rio de Janeiro

 

[1] Esta pesquisa contou com bolsa de estudos da CAPES.


Palavras-chave


Memória Coletiva; Fenômeno Urbano; Estudos Etnográficos

Texto completo:

660-685 PDF

Referências


ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. 4ª ed. Ver. São Paulo: Cortez, 2009.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

CARDOSO, André Luiz Carvalho. Arquitetura encapsulando a informalidade: da Feira dos Paraíbas ao Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. 2006. 176 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura/PROARQ, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

Editorial. Jornal da Feira, Rio de Janeiro, jan 2012. Coluna Macaxeira, p. 2.

ELIAS, Norbert & SCOTSON, John L. Os Estabelecidos e os Outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.

Feira de São Cristóvão: um pouco do Nordeste. O GLOBO, Rio de Janeiro, 27 ago. 1973.

Feira de São Cristóvão: um pedaço do nordeste nos domingos cariocas. Delfin News, Rio de Janeiro, set. 1977, p. 6-7.

Feira-Livre no Domingo: Povo Não Acredita em “Congelamento” Mas Aprecia Beleza Folclórica. Última Hora, Rio de Janeiro, 03 mar. 1959.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A Retórica da Perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; IPHAN, 2002.

HOBSBAWN, Eric. Introdução: A invenção das tradições. In: HOBSBAWN, Eric & RANGER, Terence (org.). A invenção das tradições. 4ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

LUIZ, André & MAMCASZ, Eduardo. O Nordeste faz a feira, som de viola e de repentes. Fotos de Roberto Valença. O JORNAL, Rio de Janeiro, 30 set. 1971.

MELLO, Vitor Rebello Ramos. Memórias repentinas: a construção poética do Nordeste pelos repentistas da Feira de São Cristóvão (RJ). 2012. 211 f. Dissertação (Mestrado em Memória Social) – Programa de Pós-Graduação em Memória Social, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

MORALES, Lúcia Arrais. A Feira de São Cristóvão: um estudo de identidade regional. 1993. 193 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do MUSEU NACIONAL, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1993.

NEMER, Sylvia. Feira de São Cristóvão: a história de uma saudade. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2011.

PANDOLFO, Maria Lúcia Martins. Feira de São Cristóvão – a reconstrução do nordestino num mundo de paraíbas e nortistas. 1987. 232 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Instituto de Estudos Avançados em Educação, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 1987.

PINO, Angel. Cultura e Processo Civilizador: um confronto de idéias de N. Elias e Lev S. Vigotski. In: IX SIMPÓSIO INTERNACIONAL PROCESSO CIVILIZADOR, Ponta Grossa, 2005. Disponível em: . Acesso em: 26 de novembro de 2012.

RIBEIRO, Maria de Fátima. Nem Feira dos paraíbas, nem shopping dos nordestinos: um estudo sobre o Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. 2005. 137 f. Tese (Mestrado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação de Engenharia/ COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei 353, de 01 de out. 1982. Disponível em: < https://cm-rio-de-janeiro.jusbrasil.com.br/legislacao/284869/lei-353-82>. Acesso em: 31 mai. 2020.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei 2.052, de 26 de nov. 1993. Disponível em: < https://mail.camara.rj.gov.br/APL/Legislativos/contlei.nsf/69d90307244602bb032567e800668618/064ef7670d0cc4b7032576ac00733609?OpenDocument>. Acesso em 30 mai. 2018.

SIMMEL, Georg. O Estrangeiro. In: MORAES FILHO, Evaristo de (org.). Simmel – Sociologia. São Paulo: Ática. Coleção Grandes Cientistas Sociais, vol. 34, p. 182-188.

VIDREIRO, Osni. Feira de São Cristóvão. O Nordeste no domingo carioca. Fotos de João Simão. O DIA, Caderno D. 8-9 abril. 1979, p. 1.




DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.103811

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191