Adesão à farmacoterapia, que universo é esse? Uma revisão narrativa

Authors

  • Lívia Soldatelli Oliboni Programa de Pós-graduação em Assistência Farmacêutica, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-4944-1574
  • Mauro Silveira de Castro Programa de Pós-graduação em Assistência Farmacêutica, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS, Brasil. http://orcid.org/0000-0003-4374-458X

Keywords:

Revisão narrativa, adesão à medicação, terminologia

Abstract

A não-adesão à farmacoterapia foi primeiramente identificada há mais de 2000 anos e continua a ser um desafio, gerando intenso debate nos dias de hoje. Percebe-se que houve um aumento nas pesquisas que procuram elucidar a extensão, as causas e as consequências da não-adesão à farmacoterapia. No entanto, para entender a extensão de adesão é necessário compreender o seu conceito. Para tanto, é necessário esclarecer a diferença dos diversos termos utilizados em pesquisas de adesão, tais como cumprimento, adesão, concordância e persistência. Com o objetivo de elucidar essas e muitas outras questões, conduziu-se um mapeamento da literatura existente sobre adesão à farmacoterapia. Esta revisão narrativa foi conduzida sem limitação temporal, por meio de buscas realizadas nas bases de dados MEDLINE/PubMed e Scielo. Utilizaram-se os descritos em Ciências da Saúde (DeCS) (Medication Adherence e Adesão à Medicação; Patient Compliance e Cooperação do Paciente; Terminology e Terminologia); os termos MESH (drug therapy, medication adherence, medication therapy management, patient compliance, terminology); e outros termos gerais. Apesar de existir uma vasta literatura sobre o conceito de adesão à medicação, não há um consenso padrão estabelecido. Os termos compliance, adherence e concordance têm sido utilizados erroneamente como termos intercambiáveis de adesão à medicação. Alguns autores categorizam a não-adesão em intencional e não intencional; outros em repetida ou esporádica ou, ainda, em primária ou secundária. A adesão é um comportamento multifatorial complexo que é influenciado por diversos fatores, que muitas vezes são controversos e inconsistentes nas publicações. Apesar de existir um universo rico e promissor no campo de adesão à farmacoterapia, há muita complexidade e contradição. Muito do que se reporta à adesão é de certa forma fragmentado e controverso, o que dificulta a análise deste processo como um todo.

Palavras-chave: Revisão narrativa; adesão à medicação; terminologia

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Lívia Soldatelli Oliboni, Programa de Pós-graduação em Assistência Farmacêutica, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS, Brasil.

Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Mauro Silveira de Castro, Programa de Pós-graduação em Assistência Farmacêutica, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS, Brasil.

Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Published

2018-07-19

How to Cite

1.
Oliboni LS, de Castro MS. Adesão à farmacoterapia, que universo é esse? Uma revisão narrativa. Clin Biomed Res [Internet]. 2018Jul.19 [cited 2022May16];38(2). Available from: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/80552

Issue

Section

Review Articles