Coqueluche em crianças menores de 3 anos de idade hospitalizadas em 2011 e 2012

Boaventura Antonio dos Santos, Adrianne Rahde Bischoff, Cristina Chikota, Carolina Comparin Silva, Natália Bitencourt de Lima, Manoela Agne, Gustavo Agostini, Bárbara Simionato, Juliana Nunes, Lilian da Silva, Ana Luiza Tainski de Azevedo, Mariana Ferreira, Márcia Pires

Abstract


Objetivo: Descrever as características demográficas e clínicas de pacientes pediátricos internados com PCR positivo para Bordetella pertussis. Métodos: Estudo retrospectivo, observacional incluindo todos os pacientes pediátricos entre zero e dois anos 11 meses e 29 dias de idade internados em um hospital universitário, com diagnóstico de coqueluche confirmado por PCR, no período de julho de 2011 a dezembro de 2012. Resultados: Foram incluídos no estudo 155 pacientes com idade média de 7,8 meses. Apenas 22 casos tinham história de contato com tosse paroxística ou prolongada (>14 dias). O tempo médio de duração de sintomas antes da admissão hospitalar foi de 9,87±10,08 dias e o tempo de internação médio foi de 5,52±9,60 dias. Tosse foi o sintoma mais prevalente (99%), sendo paroxística em apenas 16,8%. Cianose esteve presente em 29,7% e apneia em 5,8%. Necessitaram oxigênio suplementar 52,2%, ventilação mecânica 4,9% e foram a óbito 2,5% dos pacientes. Conclusão: O estudo corrobora o impacto da coqueluche epidêmica sobre as crianças, principalmente lactentes, evidenciando a necessidade da implementação de novas estratégias de prevenção e controle desta infecção.


Keywords


whopping cough; pertussis



Copyright (c)



ISSN: 2357-9730 

http://seer.ufrgs.br/hcpa/

 

 

Apoio Financeiro:

 


Licença Creative Commons
The Clinical & Biomedical Research is licenced under Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.