Cesariana primária em nulíparas – fatores de risco em hospital público universitário

Autores

  • Solange Garcia Accetta Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Cristiano Caetano Salazar Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Janete Vettorazzi Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Edison Capp Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Maria Lucia Rocha Oppermann Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS
  • Eduardo Pandolfi Passos Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS`

Palavras-chave:

cesariana, parto, hipertensão gestacional, nulíparas, macrossomia fetal

Resumo

Objetivo: identificar fatores determinantes para risco de cesariana primária em nulíparas.

Métodos: estudo de coorte prospectivo desenvolvido em hospital público universitário. Foram incluídas todas primíparas atendidas na emergência obstétrica de dezembro/2006 a junho/2007. Informações sociodemográficas e doenças prévias foram obtidas na admissão; o desfecho principal foi a via de parto. Para análise estatística utilizou-se o modelo de regressão de Poisson e as variáveis com significância de associação ≤ 0,2 entraram no modelo múltiplo.

Resultados: as variáveis determinantes da cesariana primária entre nulíparas foram: apresentação fetal não cefálica (RR=2,8; IC95 %=1,9 – 4,2); emergências obstétricas (RR=2,4; IC95 %=1,7 – 3,2); macrossomia fetal presumida (RR=1,9; IC95%=1,2 – 3,2); doenças fetais (RR=1,6; IC95%=1,2 – 2,2); idade gestacional igual ou maior de 40 semanas (RR=1,5; IC95%=1,1 – 2,0); distúrbios hipertensivos (RR=1,33; IC95%=1,01 – 1,76) e idade materna (RR=1,05; IC95%=1,03 - 1,07).

 Conclusões: os resultados indicaram que os principais fatores determinantes para cesariana primária são condições potencialmente modificáveis. A apresentação fetal não-cefálica pode ser alterada com utilização mais frequente da versão cefálica externa; a idade gestacional ≥ 40 semanas, com datação criteriosa da gestação e protocolos previamente definidos para indução do parto; a macrossomia fetal presumida, com treinamento em avaliação clínica e/ou ecográfica do peso fetal no termo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-11-08

Como Citar

1.
Accetta SG, Salazar CC, Vettorazzi J, Capp E, Oppermann MLR, Passos EP. Cesariana primária em nulíparas – fatores de risco em hospital público universitário. Clin Biomed Res [Internet]. 8º de novembro de 2013 [citado 3º de outubro de 2022];33(3/4). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/41009

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>