O papel da aprendizagem baseada em problemas nas mudanças no ensino médico no Brasil

Marina Beltrami Moreira, Waldomiro Manfroi

Abstract


A instituição do Sistema Único de Saúde no Brasil (SUS) acarretou mudanças no trabalho médico. Novas habilidades vêm sendo demandadas do médico atuante no SUS, gerando impacto sobre o ensino médico. Através da análise das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina é possível identificar algumas dessas repercussões, bem como abordagens propostas para a reestruturação do ensino. A Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) é uma metodologia ativa de ensino que vem sendo adotada em algumas Escolas Médicas do país. Constitui-se um trabalho de pequenos grupos, onde o aprendizado é centrado no aluno e não no professor, e os conhecimentos são adquiridos a partir de problemas clínicos. Essa abordagem exige uma estrutura física e organizacional complexa, treinamento adequado dos docentes e participação ativa dos discentes. Uma análise de alguns resultados obtidos a partir da experiência de países como os Estados Unidos e o Canadá sugere alguns pontos fortes do ensino através do PBL: comunicação social, trabalho em equipe multidisciplinar e aprender a aprender. Essas habilidades são consoantes com as características almejadas para o médico do SUS. Alguns aspectos são deficitários em relação ao método tradicional, como conhecimento de ciências biológicas básicas e fisiopatologia e desempenho na tomada de decisão terapêutica. Com isso, propõe-se uma reflexão sobre a pertinência da adoção do PBL como modelo didático no Brasil, sua relação com as propostas do SUS e das Diretrizes Curriculares e a factibilidade desse processo.

Keywords


Aprendizagem baseada em problemas; ensino médico; Sistema Único de Saúde



Copyright (c)



ISSN: 2357-9730 

http://seer.ufrgs.br/hcpa/

   

  

 

Apoio Financeiro:


 

Licença Creative Commons
The Clinical & Biomedical Research is licenced under Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.