Utilização de Técnicas da Terapia Cognitivo-Comportamental em Grupo para Pacientes com Sintomas Residuais do Transtorno de Pânico: Seguimento de 2 Anos

Autores

  • Elizeth Heldt Escola de enfermagem / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA
  • Carolina Blaya Faculdade de Medicina / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA
  • Letícia Kipper Faculdade de Medicina / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA
  • Giovanni Salum Faculdade de Medicina / UFRGS
  • Gisele Gus Manfro Faculdade de Medicina / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA

Palavras-chave:

Transtorno de pânico, terapia cognitivo-comportamental em grupo, respiração diafragmática, seguimento

Resumo

Objetivo: Avaliar a utilização das técnicas aprendidas durante a terapia cognitivo-comportamental em grupo (TCCG) para pacientes com transtorno de pânico (TP) que apresentam sintomas residuais em até 2 anos após o término do tratamento. Méto-dos: Um total de 64 pacientes completou o protocolo de 12 sessões de TCCG, e 62 (97%) foram encontrados para avaliação 2 anos após o término da terapia. As medidas de desfecho foram avaliadas pelos seguintes instrumentos: Impressão Global Clínica (CGI), Inventário de Pânico e Escala Hamilton para Ansiedade. O uso das técnicas foi avaliado através de entrevista semi-estruturada nas avaliações de seguimento, sendo classificadas em: (a) respiração diafragmática; (b) relaxamento muscular; (c) técnica cognitiva; e (d) exposição. Resultados: Considerando os 62 pacientes avaliados no seguimento, 39 (63%) preencheram o critério de remissão (CGI ? 2 e ausência de ataques de pânico) no primeiro ano e 35 (57%) no segundo ano de seguimento. A despeito dos critérios de remissão, um número grande de pacientes (87%) continuava a utilizar as técnicas aprendidas durante a terapia 1 a 2 anos após o término do protocolo. A técnica mais utilizada em ambos os períodos de seguimento foi a respiração diafragmática. Conclusões: Os resultados sugerem que a TCCG é eficaz para pacientes com sintomas residuais de TP. O uso das técnicas aprendidas durante as 12 sessões foi evidenciado em até 2 anos após o término do tratamento, sugerindo benefícios em longo prazo das habilidades desenvolvidas na TCCG.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizeth Heldt, Escola de enfermagem / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA

Professora Adjunta da Escola de Enfermagem / UFRGS, disciplina Saúde Mental e Psiquiatria. Mestrado e Doutorado em Psiquiatria - FAMED / UFRGS. Enfermeira psiquiátrica do HCPA durante 20 anos, últimos 10 anos no Serviço de Enfermagem em Saúde Pública - Ambulatório

Carolina Blaya, Faculdade de Medicina / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA

Médica Psiquiatra, Mestre e Doutora em Psiquiatria pela FAMED / UFRGS.

Letícia Kipper, Faculdade de Medicina / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA

Médica Psiquiatra, Mestre e Doutora em Psiquiatria pela FAMED / UFRGS.

Giovanni Salum, Faculdade de Medicina / UFRGS

Acadêmico de medicina - FAMED / UFRGS Bolsista de Iniciação Científica - CNPq

Gisele Gus Manfro, Faculdade de Medicina / UFRGS e Programa dos Transtornos de ansiedade (PROTAN) / HCPA

Professora Adjunta do Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal e do Programa de Pós-graduação em Ciências Médicas: Psiquiatria - FAMED / UFRGS. Médica psiquiatra, Doutora em Ciências Biológicas: Bioquimica.

Downloads

Publicado

2008-05-06

Como Citar

1.
Heldt E, Blaya C, Kipper L, Salum G, Manfro GG. Utilização de Técnicas da Terapia Cognitivo-Comportamental em Grupo para Pacientes com Sintomas Residuais do Transtorno de Pânico: Seguimento de 2 Anos. Clin Biomed Res [Internet]. 6º de maio de 2008 [citado 26º de setembro de 2022];28(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/2039

Edição

Seção

Artigos Originais