MECANISMOS PATOGÊNICOS, FUNÇÃO VENTRICULAR E BIÓPSIA ENDOMIOCÁRDICA NA MIOCARDIOPATIA DILATADA

Autores

  • Beatriz Piva e Mattos Serviço de Cardiologia, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Porto Alegre, RS, Brasil. Departamento de Medicina Interna, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Palavras-chave:

Miocardiopatia dilatada, patogenia, função ventricular, biópsia endomiocárdica

Resumo

A miocardiopatia dilatada é uma doença de caráter complexo e multifatorial, em que infecções virais, mecanismos auto-imunes e fatores genéticos produzem lesão miocárdica definitiva. É diagnosticada habitualmente na forma avançada, na qual determina severo comprometimento da função sistólica do ventrículo esquerdo e manifestações clínicas de insuficiência cardíaca. Pode ser identificada em forma inicial, caracterizada pela ausência de sinais congestivos e leve disfunção sistólica. Distúrbios do enchimento diastólico do ventrículo
esquerdo são evidenciados em ambas as formas. A biópsia endomiocárdica identifica alterações histopatológicas, as quais não se correlacionam com o grau de comprometimento da função ventricular esquerda.
Unitermos: Miocardiopatia dilatada, patogenia, função ventricular, biópsia endomiocárdica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-03-05

Como Citar

1.
e Mattos BP. MECANISMOS PATOGÊNICOS, FUNÇÃO VENTRICULAR E BIÓPSIA ENDOMIOCÁRDICA NA MIOCARDIOPATIA DILATADA. Clin Biomed Res [Internet]. 5º de março de 2020 [citado 2º de outubro de 2022];25(3). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/100462

Edição

Seção

Artigos Especiais