A IMPORTÂNCIA DA DIETA NO MANEJO DA HIPERCALCIÚRIA

Autores

  • Elza Daniel de Mello Serviço de Nutrologia, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Porto Alegre, RS, Brasil. Departamento de Pediatria, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Márcia Andréa de Oliveira Schneider Programa de Capacitação para Médicos, Serviço de Nutrologia, HCPA, Porto Alegre, RS, Brasil.

Palavras-chave:

Hipercalciúria, litíase renal, nutrição

Resumo

Litíase renal apresenta uma prevalência na população de até 20% e é causada por múltiplos fatores. A hipercalciúria é o distúrbio metabólico mais freqüentemente associado à formação de cálculos urinários. A alta recorrência de sintomas clínicos impõe uma maior preocupação na prevenção e tratamento dessa condição. Acredita-se que a dieta seja o maior fator de risco ambiental na formação de cálculos, pois tem forte associação com a composição urinária de nutrientes, entre eles: cálcio, oxalato, sódio, potássio, vitamina C, proteína, purinas, além da ingestão de líquidos. A recomendação dietética para controle da formação de cálculos renais de cálcio requer a modificação de vários componentes da dieta, além dos alimentos com cálcio, tais como oxalato, sódio e purinas. O objetivo desta revisão foi trazer informações da literatura sobre o papel da terapia nutricional na prevenção e no tratamento do cálculo renal, em particular nos pacientes com hipercalciúria.

Unitermos: Hipercalciúria, litíase renal, nutrição

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-02-05

Como Citar

1.
de Mello ED, Schneider MA de O. A IMPORTÂNCIA DA DIETA NO MANEJO DA HIPERCALCIÚRIA. Clin Biomed Res [Internet]. 5º de fevereiro de 2020 [citado 1º de outubro de 2022];26(2). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/100246

Edição

Seção

Artigos de Revisão