Arte contemporânea e ensino da arte: contextos de produção de sentido

Rejane Reckziegel Ledur

Resumo


O artigo discute os desafios da educação atual, a partir do olhar e da experiência estética com a arte contemporânea no contexto escolar. Tem como referência duas pesquisas acadêmicas (LEDUR, 2005, 2013) em relação à produção de sentidos na interação com a arte contemporânea de professores de arte e alunos do Ensino Fundamental de uma rede municipal de ensino. Autores como Cauquelin (2005), Bourriaud (2009), Bauman (1998, 2007), Sibilia (2012) e Acaso (2009) fundamentam as reflexões referentes às transformações da pós-modernidade; as análises da experiência estética partem dos estudos de Bakthin, Dewey e da semiótica greimasiana. Ao considerar a interação com a arte contemporânea como uma experiência sensível e inteligível, observou-se a recorrência de sentidos específicos apoiados em princípios fundamentais da experiência estética com a arte contemporânea. A compreensão construída em torno da percepção dos sentidos, produzidos pelos alunos na interação com a arte contemporânea, foi representada por meio do “quadrado semiótico”. Nesse esquema, salientam-se os regimes de contemplação, interrogação, significação e percepção, como resultantes da apreensão estética da arte contemporânea.

Palavras-chave


Experiência estética. Produção de sentido. Arte contemporânea.

Texto completo:

PDF

Referências


ACASO, Maria. La educación artística no son manualidades. Madrid: Catarata, 2009.

BAUMAN, Zigmunt. O mal-estar da Pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998.

BAUMAN, Zigmunt. Los retos de la educación en la modernidade líquida. Barcelona: Gedisa, 200 7.

BOURRIAUD, Nicolas. Estética relacional. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

CAUQUELIN, Anne. Arte contemporânea: uma introdução. São Paulo: Martins, 2005.

COCCHIARALE, Fernando. Quem tem medo da arte contemporânea? Recife: Fundação Joaquim Nabuco - Ed. Massangana, 2006.

DANTO, Arthur C. Após o fim da arte: Arte Contemporânea e os limites da história. São Paulo: Odysseus Editora, 2006.

DEWEY, John. Arte como Experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.;

FAVARETTO, Celso F. Arte contemporânea e educação. Revista Iberoamericana de Educacíon, Madri, nº 53, p. 225-235. 2010. Disponível em: <www.rieoei.org/rie53a10.pdf>‎. Acesso em: 06 jan. 2013.

GREIMAS, Algirdas Julien. Da Imperfeição. São Paulo: Hacker Editores, 2002.

LANDOWSKI, Eric. Interaciones arriesgadas. Lima: Universidad de Lima, Fondo Editorial, 2012.

LANDOWSKI, Eric. ¿Habría que rehacer la semiótica? Contratexto 20, Universidad de Lima, 2012b,p. 1227-155. Disponível em: www2.ulima.edu.pe/Revistas/contratexto/index.htm>. Acessado em: 12 mai. 2013.

LANDOWSKI, Eric. Para uma semiótica sensível. Educação & Realidade, Porto Alegre, v.30, n.2,p.93-106, jul/dez, 2005.

LANDOWSKI, Eric. Aquém ou além das estratégias, a presença contagiosa. Documentos de Estudo Centro de Pesquisas Sociossemióticas, n3. São Paulo: Edições CPS, 2005. P.11-51.

LEDUR, Rejane Reckziegel. Arte contemporânea e produção de sentidos dos alunos no ensino da arte: a experiência estética na Bienal do Mercosul sob olhar da semiótica. 234 f. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação, UFRGS, Porto Alegre, 2013.

LEDUR, Rejane Reckziegel. Professores de Arte e Arte Contemporânea: Contextos de Produção de Sentido. 166 f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação, UFRGS, Porto Alegre, 2005.

SIBILIA, Paula. Redes ou Paredes: A escola em tempo de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.




DOI: https://doi.org/10.22456/2357-9854.66932

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

       

 

 

 

Revista GEARTE

ISSN 2357-9854 | e-ISSN 2596-3198 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil

http://www.seer.ufrgs.br/gearte

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.