O Financiamento da Educação Básica em Portugal e Brasil

Amilka Dayane Dias Melo Lima, Magna França

Resumo


O artigo objetiva analisar os modelos de financiamento da educação básica implementados no Brasil e em Portugal. Apresentam-se as diretrizes do financiamento nesses países, a aplicação dos recursos em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB). Conclui-se que, no conjunto de semelhanças, há o fato de serem adeptos das políticas promovidas pelos organismos internacionais. Relativo às diferenças, os dois países assumem perspectivas de gestão e fonte de recursos distintos. Ao comparar a despesa per capita em educação, o quadro atual é de limitação do Brasil, ou seja, Portugal apresenta um investimento por aluno significativamente superior.


Palavras-chave


Financiamento da educação básica. Brasil. Portugal.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHÃO, Jorge. Financiamento e gasto público da educação básica no Brasil e comparações com alguns países da OCDE e América Latina. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 841-858, out. 2005. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018.

BARROSO, João. Organização e regulação dos ensinos básico e secundário, em Portugal: sentidos de uma evolução. Educação & Sociedade, Campinas, v. 24, n. 82, p.63-92, abr. 2003. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018.

DALE, Roger. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 423-460, ago. 2004. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018.

EUR-Lex. Pacto de Estabilidade e Crescimento. 2018. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018.

FRANÇA, Magna; CABRITO, Belmiro; PINHAL, João. O financiamento da educação básica: o caso de Brasil e Portugal. In: CABRITO, Belmiro et al. (Org.). Os Desafios de Internacionalização da Educação em países de Língua Portuguesa: Financiamento e Internacionalização. Lisboa: Educa, 2014. p. 175-198.

GRAÇA, Vasco. Sobre o financiamento da Educação: condicionantes globais e realidades nacionais. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, v. 13, n. 13, jul. 2009. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018.

MOREIRA, Jani Alves da Silva. Políticas de financiamento e gestão da educação básica (1990-2010): os casos Brasil e Portugal. Maringá: Eduem, 2015. 356 p.

NOGUEIRA, Mário Oliveira. Mário Oliveira Nogueira: Mário Oliveira Nogueira. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 8, n. 14, p. 27-37, jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018

OECD. Organisation for Economic Cooperation and Development. Education at a Glance 2016: OECD Indicators. Paris: OECD Publishing, 2016. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018.

PINHAL, João. Os municípios portugueses e a educação: treze anos de intervenções (1991-2003). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012. 788 p.

PINTO, José Marcelino de Rezende. Os recursos para a educação no Brasil no contexto das finanças públicas. Brasília: Editora Plano, 2000. 181 p.

PINTO, José Marcelino de Rezende. Os números do financiamento da educação no Brasil. Pro-posições, Campinas, v. 16, n. 3, p. 75-86, set./dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 1 ago. 2018.

SILVA, Manuela et al. (Org.). Pensar a educação. Lisboa: Educa - Organizações, 2015. 134 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fineduca adota o formato de publicação contínua.

 

Fontes de Indexação:

LATINDEX

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.