Quem são os professores que chegam à aposentadoria? Uma aproximação a partir dos dados da RAIS de professores da Educação Básica no Estado do Paraná

Andréa Barbosa Gouveia

Resumo


O debate sobre a profissão docente implica considerações sobre as condições de recrutamento, a atratividade da carreira, as condições de fixação do professor na carreira. Sendo assim, o presente artigo analisa a questão do direito à aposentadoria. Compreender as condições nas quais os professores terminam suas carreiras pode ser outra maneira de considerar a apreciação do professor em diferentes sistemas educacionais. A partir desses elementos, o trabalho propõe uma reflexão sobre os professores que chegam à aposentadoria, tomando como caso empírico os professores das redes públicas do Paraná, em dois anos-chave. A fonte de dados é a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e o tratamento metodológico quantitativo propõe analisar quem são os professores aposentados considerando a idade, tempo de serviço, salário e qualificação.


Palavras-chave


Política Educacional. Remuneração de Professores. Envelhecimento. Aposentadoria.

Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, Kalinca Léia; KASSOUF, Ana Lúcia. Diferença salarial e aposentadoria dos professores do ensino fundamental. Economia Aplicada, Ribeirão Preto, v. 16, n. 1, p. 77-104, 2012.

BRASIL. Constituição Federal. Diário Oficial da União, Brasília, 1988. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2018.

BRASIL. MTE. Ministério do Trabalho e Emprego. Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Microdados, 2008. Brasília, 2008. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2018.

BRASIL. MTE. Ministério do Trabalho e Emprego. Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Microdados, 2016. Brasília, 2016. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2018.

BRASIL. MTE. Ministério do Trabalho e Emprego. Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Brasília, 2018. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Emendas Constitucionais. 2019. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2018.

CASSETTARI, Nathalia. Remuneração variável para professores: revisão de literatura e desdobramentos no Estado de São Paulo. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

FERNANDES, Maria Dilnéia Espíndola; GOUVEIA, Andrea Barbosa; BENINI, Élcio Gustavo. Remuneração de professores no Brasil: um olhar a partir da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Educação e Pesquisa, São Paulo, USP, v. 38, p. 339-356, 2012.

FERREIRA Jr., Amarílio. A Confederação dos Professores do Brasil e a aposentadoria aos 25 anos. In: GINDIN, Julián; FERREIRA, Márcia Ondina Vieira; DAL ROSSO, Sadi (Org.). Associativismo e sindicalismo em educação: teoria, história e movimentos. 1. ed. Brasília: Paralelo 15, 2013. v. 2. P. 151-165.

GATTI, Bernadete; BARRETO, Elba. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

GODOY, Marina de. Condições de carreira e remuneração dos professores no Estado do Paraná (2005-2012). 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) –Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

GOUVEIA, Andréa Barbosa et al. Remuneração de Professores de Escolas Públicas de Educação Básica no Contexto do Fundeb e do PSPN. Relatório Estadual - Paraná. Curitiba: UFPR, 2017.

GROCHOSKA, Marcia Andréia. Políticas educacionais e a valorização do professor: carreira e qualidade de vida dos professores de educação básica do município de São José dos Pinhais/PR. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015.

HARRYS, Debbi C. The Promises and Pitfalls of Alternative Teacher Compensation Approaches. Colorado/EUA: EPIC; APRU, 2007.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Consulta à matrícula. Censo Escolar 2008. Brasília, 2008. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2018.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Consulta à matrícula. Censo Escolar 2016. Brasília, 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2018.

MORDUCHOWICZ, Alejandro. Carreiras, Incentivos e Estruturas Salariais Docentes. Programa de Promoção da Reforma Educativa na América Latina e Caribe. Junho, 2003.

OCDE; UNESCO. Education at a Glance 2017: OECD Indicators. Paris: OECD Publishing, 2017. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2018.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Os trabalhadores docentes e a construção política da profissão docente no Brasil. Educar em Revista, Curitiba, v. n.1, p. 17-36, 2010.

RAFANHIM, Ludimar. Decisões Judiciais e Valorização dos Profissionais do Magistério. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

RAFANHIM, Ludimar. Planos de Carreira dos Servidores Públicos depois da Reforma Previdenciária de 2003. Revista L&C, 2013.

SOUZA, Ângelo Ricardo de; ABREU, Diana Cristina. Ingresso na carreira docente: As experiências de Brasil e Chile. Archivos Analíticos de Políticas Educativas / Education Policy Analysis Archives, Arizona, v. 24, p. 72-92, 2016.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

TENTI FANFANI, Emilio. La condición docente: Analisis comparado de Argentina, Brasil, Perú y Uruguay. Argentina: Século XXI Editores Argentina, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fineduca adota o formato de publicação contínua.

 

Fontes de Indexação:

LATINDEX

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.