Memórias Escolares: sem ressentimentos

Autores

  • Marlene de Souza Dozol UFSC

Palavras-chave:

Literatura. Memória. Escola.

Resumo

O presente trabalho convida a pensar - de um outro modo -  as memórias escolares que uma parte considerável da literatura ajudou a cristalizar no ideário pedagógico moderno e contemporâneo. Não são incomuns imagens que reeditam, para os autores artistas que a compõem, uma experiência escolar dolorosa, descrita sob o signo da mágoa, sombra permanente sobre as instituições de ensino situadas num passado que não se quer repetir. Mas, seriam tais imagens, de fato, tão unânimes quando se trata, em linguagem literária, de escrever sobre a escola e, o ressentimento, a categoria central para lembrar esse tempo? Não é o que a obra Balão Cativo, do memorialista brasileiro Nava (1903-1984), evoca: negando-se ao cultivo do ressentimento, o autor nos dá a conhecer o seu tempo de escola pela via do humor, do perdão e de um delicado sentimento de gratidão.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Arquivos adicionais

Publicado

2009-07-23

Como Citar

Dozol, M. de S. (2009). Memórias Escolares: sem ressentimentos. Educação &Amp; Realidade, 34(2). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/9353

Edição

Seção

Artigos