Governamentalidade como Ferramenta Conceitual na Pesquisa de Políticas Educacionais

Autores

  • Olena Fimyar

Palavras-chave:

Governamentalidade. Políticas educacionais. Educação comparada. Educação liberal. Educação pós-comunista

Resumo

Este artigo trata da governamentalidade, como ferramenta conceitual, na pesquisa em Ciências Humanas; particularmente, em estudos sobre políticas educacionais. Examinam-se as principais definições de governamentalidade apresentada por Foucault (1991). Argumento que a governamentalidade não constitui um enquadramento teórico fechado, mas é operacionalizada como ferramenta analítica genérica. A percepção “desigual” de governamentalidade nos estudos educacionais é discutida na segunda parte do ensaio. Há uma clara lacuna no estudo das políticas educacionais em contextos não-liberais na perspectiva da governamentalidade. Usando a pesquisa de Tikly (2003), aplico o conceito de “governamentalidade emergente” para uma compreensão da elaboração de políticas, como tecnologias de governo na Ucrânia pós-comunista. As possibilidades e limitações desta tentativa teórica são discutidas na parte final do ensaio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Arquivos adicionais

Publicado

2009-07-01

Como Citar

Fimyar, O. (2009). Governamentalidade como Ferramenta Conceitual na Pesquisa de Políticas Educacionais. Educação &Amp; Realidade, 34(2). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/8308

Edição

Seção

Governamentalidade e Educação