Construtivismo: evolução ou modismo?

Sandra Mara Corazza

Resumo


A partir de uma perspectiva sociológica, integrada por ferramentas conceituais da teorização social pós-estruturalista/pós- modernista, o texto antagoniza com dois sentidos correntes atribuídos ao construtivismo pedagógico, quais sejam: 1) o sentido que compreende esta prática como uma "evolução"; 2) e aquele que lhe atribui a significação de ser um "modismo". Por tratálo como uma prática discursiva, no sentido foucaultiano, envolvido por/envolvendo relações de poder-saber, opera sua analítica no que se refere: l°) à educação pública brasileira; 2°) à criança do construtivismo; e 3°) ao lugar dos pais/mães no construtivismo; concluindo que é mais do que tempo, sim, de desconstruir o construtivismo (psico) pedagógico.


Palavras-chave


construtivismo (Psico)pedagógico, desconstrutivismo político, currículo, poder-saber, infância-escolar

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Sandra Mara Corazza

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo