Antropologia da Ciência, Educação Ambiental e Agenda 21 Local

Fátima Braga Branquinho, Jacqueline da Silva Santos

Resumo


O artigo tem como objetivo apresentar uma contribuição da Antropologia da Ciência à
Educação Ambiental. Para tanto, discute a dicotomia objeto-sujeito à luz da noção de
simetria entre natureza e cultura, tal como apresentada por Bruno Latour. A principal
conseqüência desta discussão é a possibilidade de estabelecer em bases epistemológicas um diálogo entre os sistemas de conhecimento popular e científico sobre a natureza e a saúde. No campo educacional, essa discussão se traduz na possibilidade de formulação
compartilhada por especialistas e comunidade de ações que visam minimizar a variedade
de problemas socioambientais locais.

Palavras-chave


Simetria. Latour. Agenda 21 Local. Educação ambiental.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo