Movimentos Sociais: clichês e redes educativas no filme Queimada!

Joana Ribeiro dos Santos, Rebeca Silva Brandão Rosa, Nilda Alves

Resumo


Através das imagens e sons, tecendo diálogo com as lutas por independência política na América do século XIX, Queimada! (dirigido por Gillo Pontecorvo, Itália, 1969), nos ajuda a compreender a importância das redes educativas na tessitura dos movimentos sociais ao longo da história. A ideia de uma repetição criadora, entre os movimentos do século XIX e entre os atuais, nos auxilia a discutir como os clichês aparecem no filme e estão presentes nas nossas redes, e em formas de perceber esses movimentos. Superar esses clichês parece ser uma boa tática para recriar, no presente, tantas formas de compreender a história e tecer os movimentos sociais atualmente. Buscamos teóricos como Certeau (1994), Deleuze (2005), Castells (2013), etc.


Palavras-chave


Movimentos Sociais. Clichês. Cinema. Redes Educativas. Cotidianos.

Texto completo:

Remoto Acesso ao artigo


Direitos autorais 2017 Educação & Realidade

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo