Currículo e Didática da Tradução: vontade, criação e crítica

Sandra Mara Corazza

Resumo


Em meio à categoria profissional dos professores, o texto interroga o que nos leva a educar e a prosseguir educando; qual é o motor político e a alegria subjetiva da nossa profissão; qual é a força de trabalho que traz vitalidade às nossas existências? Desde a filosofia da diferença, e como resultado de uma pesquisa de teor ensaístico-factual, posiciona-se na perspectiva nietzschiana da vontade de potência, constituída por problemáticas acerca da especificidade da disposição e do impulso de uma docência afirmativa, autoral e criadora. Com o método do jogo de dados, mostra, em suas relações, um currículo tradutor e uma didática da tradução, como processos transcriadores da civilização, das culturas e de nós próprios.

Palavras-chave


Currículo. Didática. Tradução. Pesquisa. Diferença.



Direitos autorais 2016

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo