E os Pequeninos, Senhor? inocência e culpa na Pastoral Educativa.

Sandra Mara Corazza

Resumo


A partir das palavras de Jesus, no Evangelho de São Marcos, e as iniciais de Comenius,
na Didactica Magna, realizo uma análise interdiscursiva, ao modo de Foucault, para
responder à questão E os pequeninos, Senhor? Inscrevo tais positividades em uma
mesma série histórica, por encontrar a constância enunciativa do infantil, girando sobre
dois eixos: o de sua inocência e o da culpa efetiva. Argumento que assim se constituiu
o jogo de poder-verdade-subjetividade de nossa Pastoral Educativa. Pastoral que
acontece com uma escatologia messiânica ao fundo, no sistema de uma Santa Aliança,
para realizar o advento da Terra Prometida: a do Sujeito-Verdadeiro -função-lugar de
linguagem que, na analítica da finitude moderna, se autorizara a tomar o lugar de Deus.


Palavras-chave


Educação. História. Infantilidade. Governo. Poder.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo