A Invenção de Chacinas Escolares: das representações psi às rotas de fuga.

Karyne Dias Coutinho, Alexander de Freitas

Resumo


A partir da ideia deleuziana de que o cinema possibilita a
ativação e a potencialização do pensamento, este estudo se movimenta entre
as representações de chacinas escolares inventadas pelo filme Elefante
(Gus Van Sant, EUA, 2003) e pela revista Veja (ed. 2.212, n. 15, 13 abr. 2011).
Ao evidenciar as diferenças dos modos como Elefante e Veja inventam as
respectivas chacinas de que tratam, o estudo conclui que, por meio da multiplicidade
como chave da representação, Elefante inaugura uma rota de
fuga que permite outras possibilidades de pensar sobre chacinas escolares,
impossível de ser traçada por meio das representações psi contidas nas reportagens
de Veja.


Palavras-chave


Gilles Deleuze. Invenção. Representação. Chacina Escolar.

Texto completo:

Acesso ao artigo


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo