Conhecimento individual e Sociedade em Piaget: implicações para a investigação psicológica

José A. Castorina, Gustavo Faigenbaum, Fernando Clemente

Resumo


Este artigo pretende ser uma reconstrução histórica das categorias utilizadas por Piaget para o estudo das relações entre os conhecimentos individuais e a sociedade. Serão examinadas as vicissitudes sofridas por conceitos, tais como autismo, egocentrismo, sociocentrismo, ideologia e marco epistêmico. O esforço principal dirige-se para o estabelecimento do sentido que eles foram adquirindo no curso da reelaboração teórica das idéias clássicas de Durkheim e das discussões e intercâmbios com seus contemporâneos, como Lucien Goldmann e Rolando García. Particularmente, fixa-se uma orientação que vai de uma perspectiva fortemente imanentista e objetivista – de ruptura entre ciência e sociocentrismo –, até uma versão mais aberta e histórica de “ciência com ideologia”. Finalmente, trata-se de avaliar criticamente as conseqüências dessas idéias para a investigação psicológica, referente ao desenvolvimento das idéias morais e institucionais das crianças. A este respeito são evocadas algumas discussões atuais originadas, em diferentes correntes de pensamento.

Palavras-chave


autismo, egocentrismo, ciência, ideologia.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo