Do Nietzsche Trágico ao Foucault Ético: sobre estética da existência e uma ética para docência

Luciana Gruppelli Loponte

Resumo


Como pensar a educação e a formação docente a partir das contribuições de Foucault e Nietzsche sobre a estética da existência? Como esta forma estética de vida pode nos ajudar a pensar uma docência que seja mais artista? Neste artigo, problematizo estas questões, ao explorar a idéia da estética da existência a partir de Friedrich Nietzsche e seus livros O nascimento da tragédia eA gaia ciência, e de Michel Foucault, na última parte de sua produção teórica, referente aos últimos dois volumes da História da Sexualidade (O uso dos prazeres e O cuidado de si) e de algumas entrevistas. A partir destes autores discuto a possibilidade de uma ética docente que também passe pela estética de si mesmo. Uma estética de si que não prescinda de forma supostamente narcísica do outro, mas ao contrário, que se alimente da relação com os outros.

Palavras-chave


Formação docente, estética da existência, ética, Nietzsche, Foucault

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo