Foucault e a Educação: em defesa do pensamento

José Ternes

Resumo


Michel Foucault teve como objeto principal de suas investigações a história do pensamento ocidental, ou, como ele mesmo afirma, da verdade. Especialmente em sua arqueologia, vemos a exposição das condições de possibilidade dos saberes da modernidade (séculos XIX e XX). O essencial desse acontecimento fora a retirada da verdade do interior da representação e o seu alojamento na história. Daí em diante o saber mudaria de natureza. Não seria mais imagem das coisas, mas produto da criatividade humana, invenção. Mais do que isso, o próprio homem, o autor, deveria retrair-se, dando espaço para o saber ele mesmo se manifestar, para o retorno da linguagem. Tal leitura da história da modernidade, bem como a singular compreensão foucaultiana de saber leva a uma radical transformação de nossa filosofia da educação. Com Foucault, a principal figura da escola há de ser o livro, isto é, o pensamento vivo. Tudo o mais (professor, aluno, sociedade, administração, etc.) existirá para ele.

Palavras-chave


pensamento, sujeito, saber, educação, modernidade, Foucault.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo