A Psicanálise e o Debate sobre o Desaparecimento da Infância

Leandro de Lajonquiere

Resumo


Parece que as crianças se comportam de forma diferente de outros tempos. Tratar-se-ia de novas produções subjetivas, ora bem-vindas, ora indesejáveis. Assim, impera, no campo pedagógico e psicológico, a idéia de que a educação deve se adequar a essa nova forma de ser das crianças, como conseqüência do desaparecimento da infância inventada pela modernidade. No entanto, os estudos em Psicanálise e Educação (tributários da noção de o infantil) possibilitam operar um deslocamento nesse raciocínio viciado por certo naturalismo e, dessa forma, considerar o retorno inevitável e disruptivo de um resto de produção discursiva da infância no devir da história.

Palavras-chave


Infância. Infantil. Psicanálise. Educação.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo