Pesquisa Participativa e Educação Popular: epistemologias do sul

Cheron Zanini Moretti, Telmo Adams

Resumo


O presente artigo tem por objetivo promover um diálogo entre a educação popular e a pesquisa participativa, considerando que ambas se ancoram em epistemologias surgidas ao sul, o que implica problematizá-las no contexto de (des)colonialidade do conhecimento. Para tanto, Paulo Freire e Orlando Fals Borda são apresentados como importantes interlocutores dos processos educativos/políticos/organizativos na emancipação do espelho eurocêntrico. Compreende-se que a América Latina e a Europa são unidades de conflituosidade, e que as experiências, os métodos e as pedagogias de insurgências, ao valorizarem o outro conhecimento ante a colonialidade do norte, tornam-se fundantes na reinvenção da emancipação social.

Palavras-chave


Educação Popular. Pesquisa Participativa. Colonialidade do Conhecimento. América Latina. Epistemologias do Sul.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo