“MODERNO À MODA ANTIGA”: DISCURSOS TERAPÊUTICOS, CONCEPÇÕES ROMÂNTICAS E PERFORMANCES DE GÊNERO NO MOVIMENTO EU ESCOLHI ESPERAR

Luiza Terassi Hortelan

Resumo


O Eu Escolhi Esperar é um movimento evangélico em defesa da abstinência sexual antes do casamento. O objetivo deste artigo é refletir sobre como o amor vem sendo mobilizado nos discursos do movimento, que colocam a felicidade amorosa como a recompensa para quem "escolhe" e suporta a "espera". Ao mesmo tempo, se guardar sexualmente para o casamento torna-se uma questão não apenas de pecado, mas, sobretudo, de "saúde" e "inteligência emocional". Pretende-se demonstrar como os discursos evangélicos em torno dos relacionamentos afetivo-sexuais possuem ligações com a cultura afetiva contemporânea, ainda que visem a produção de famílias heterossexuais, sólidas e indissolúveis, baseadas em papeis tradicionais de gênero. Assim, tais pedagogias, que elencam a abstinência como uma escolha, produzem, em articulação de diferentes campos discursivos não-religiosos, códigos, convenções e performances de gênero singulares, que atravessam as expectativas, buscas e trajetórias amorosas dos sujeitos.

Palavras-chave


Evangélicos; Amor; Gênero

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8136.89956



Direitos autorais 2019 Luiza Terassi Hortelan

Porto Alegre: UFRGS, IFCH, PPGAS, 1997 – Semestral - ISSN 1519-843X – ISSN 1982-8136 (eletrônico) Os conteúdos de Debates do NER estão licenciados em CC BY.