Epistemologias das Ciências Sociais: uma reflexão sobre práticas científicas de descolonização

Autores

  • Ana Paula de Holanda Silva Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (PPGS/UECE), graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). E-mail: annapaulahs@hotmail.com http://orcid.org/0000-0003-1186-4659
  • Guilherme Marcondes Pós-doutorando (PNPD/CAPES) no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (PPGS/UECE), doutor e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGSA/UFRJ). E-mail: gui.marcondesss@gmail.com

Resumo

Discutir epistemologias dentro das Ciências Humanas e Sociais engloba diversas constatações, dentre elas o reconhecimento de que o processo de colonização contribui para que determinados conhecimentos científicos sejam historicamente desqualificados, o que pode ser classificado como “epistemicídio”. Trazer esse conceito faz-nos compreender, de maneira minuciosa, como tal ação desenvolve-se e atinge determinados grupos, comumente chamados de minorias sociais, causando o apagamento de suas formas de ser e estar no mundo. Com isso, o presente artigo tem como objetivo principal uma discussão epistemológica e metodológica sobre o impacto social do epistemicídio. Como resposta a esse projeto de colonização e extermínio simbólico, apresentaremos, ainda, o conceito de “afrocentricidade”, proposta científica que reconhece a ancestralidade africana e a diáspora em sua totalidade. A partir da perspectiva do filósofo Asante (1998), é possível refletir sobre as novas possibilidades de descolonização por meio do reconhecimento e do resgate das epistemologias consideradas não hegemônicas.


Palavras-chave: Afrocentricidade; Descolonização; Epistemicídio; Conhecimento Afro-brasileiro; Conhecimento Africano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula de Holanda Silva, Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (PPGS/UECE), graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). E-mail: annapaulahs@hotmail.com

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (PPGS/UECE), graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). E-mail: annapaulahs@hotmail.com

Guilherme Marcondes, Pós-doutorando (PNPD/CAPES) no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (PPGS/UECE), doutor e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGSA/UFRJ). E-mail: gui.marcondesss@gmail.com

Pós-doutorando (PNPD/CAPES) no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (PPGS/UECE), doutor e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGSA/UFRJ). E-mail: gui.marcondesss@gmail.com

Downloads

Publicado

2020-12-21