Entre pais e filhos: a questão da culpa pelo passado em Bernhard Schlink

Gabriela Gomes de Oliveira

Resumo


O passado histórico da Alemanha figura não apenas em textos de caráter biográfico,
mas também em produções ficcionais que objetivam lançar um olhar singular para diversos fatos
reais que penetram na história do país. Os horrores do Holocausto, das duas Guerras Mundiais,
a questão da divisão da Alemanha e da Queda do Muro de Berlim são eventos que
perpassaram, e ainda perpassam, várias gerações que vivenciaram ou que questionam o
desenrolar desses acontecimentos. A literatura surge, deste modo, como um dos meios que
promovem não somente a discussão sobre as diferentes formas de lidar com esse passado tão
presente, mas antes como uma espécie de palco onde as várias histórias dessas inúmeras
gerações ganham voz. Bernhard Schlink parece querer, por meio de uma viagem temporal pelos
principais episódios da Alemanha contemporânea, proporcionar a reflexão sobre o passado
alemão sob a perspectiva dos filhos e dos pais, dos perpetradores e das vítimas. Desta forma,
pretendeu-se, aqui, analisar de maneira breve as relações entre gerações presentes em
algumas obras do autor e compreender como elas impactam a questão da culpa e da
superação do que se passou naquela sociedade.

Texto completo:

PDF


Contingentia está indexada nas seguintes bases:

ISSN:1980-7589