Novalis e Os Discípulos em Saïs: a linguagem em vida; a obra em fragmento

Natália Corrêa Porto Sanches Fadel

Resumo


Novalis é por muitos considerado o poeta mais expressivo do primeiro movimento romântico na Alemanha. Suas idéias expressas sobretudo em fragmentos baseiam-se, num primeiro momento, nas teorias de Fichte acerca do idealismo mágico e permeiam fortemente suas obras, as quais, como o quer o ideal romântico, apresentam em si uma mistura de gêneros, observando-se o gênero poético, a retórica, questões de cunho filosófico, religioso e, em alguns casos, social. No que se refere à linguagem, para Novalis, ela consistiria em um organismo independente, de maneira que a linguagem criadora apresentaria uma supremacia do significante em detrimento de seu significado, revelando-se auto-suficiente. Neste artigo, mencionamos alguns dos apectos da vida de Novalis com objetivo de introduzir brevemente dois de seus mais importantes conceitos: a questão do Fragmento verificada em Os Discípulos em Saïs, e o conceito de linguagem poética que foi perpetuado por várias décadas, observado em outros grandes poetas de diferentes gerações.

Texto completo:

PDF HTML


Contingentia está indexada nas seguintes bases:

ISSN:1980-7589