“Brasil: ame-o ou deixe-o”: a produção de sentidos do discurso totalitário

Marlete Sandra Diedrich

Resumo


O tema deste artigo são as relações dialógicas estabelecidas entre a materialidade linguística e os elementos da situação extraverbal e contextual da vinheta “Brasil, ame-o ou deixe-o”, produzida e divulgada pela rede de televisão aberta SBT, em novembro de 2018. A reflexão está ancorada na análise dialógica do discurso, a partir dos estudos de Bakhtin e do Círculo de Bakhtin, com o objetivo de explicitar as relações dialógicas estabelecidas nesta prática discursiva considerada como um discurso totalitário no cenário político do Brasil pós-eleições presidenciais. O estudo revela duas proposições principais: a) A veiculação da vinheta pela rede de televisão SBT, no período mencionado, dada sua orientação apreciativa e seu direcionamento, representa uma forte simbologia com valoração positiva do período de Ditadura Militar no país, o que ocorre via relações metonímicas. b) A veiculação da referida vinheta no período pós-eleições presidenciais revela uma tentativa de homogeneização do discurso por meio da ideia de exclusão de toda e qualquer outra orientação apreciativa que possa se manifestar. Portanto, há um investimento discursivo na veiculação da vinheta que permite afirmar o viés totalitário por ela assumido na situação extraverbal e contextual.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.98124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com