Discurso e sentido na Inconfidência Mineira

Junia Focas

Resumo


Aqui analisaremos o léxico dos discursos da Inconfidência Mineira, tomando como corpus os processos das devassas judiciais, compilados nos Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, publicação da Imprensa Oficial de Minas Gerais. Objetiva-se empre- ender um estudo fundamentado na Análise do Discurso, desvendando os sentidos do po- der colonial e de como deles emergiu a fala da liberdade dos conspiradores. Desse quadro enunciativo, surgiu uma fala contraditória, ao mesmo tempo submissa e rebelde, na qual o discurso evasivo dos inconfidentes, na instância da repressão portuguesa, constituiu o réu condenado – Tiradentes. No embate discursivo, nasce o "discurso da História", fruto do confronto de sentidos ideológicos no "discurso na História", fundamentador do símbolo da independência e da identidade nacional. O reflexo dessas duas instâncias históricas en- contra-se na transposição da denominação inicial de Conjuração Mineira para Inconfidên- cia Mineira, fundamentando-se nos sentidos de conjuração e inconfidência no contexto das devassas judiciais e na voz dos juízes portugueses ao preferirem a Sentença que conde- nou os réus inconfidentes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.55650

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com