José Maria Arguedas: o discurso do hibridismo cultural e da quebra da identidade nacional

Alexandre Vieira

Resumo


O presente trabalho pretende fazer uma análise do discurso da desconstrução da identidade nacional e do hibridismo cultural na obra do escritor peruano José Maria Arguedas. Para isso, utilizarei a linha de pensamento do teórico Derrida que demonstra que a lógica binária é uma criação do discurso, pois os pares opostos não existiriam na origem, como a divisão entre luz e trevas, verdade e mentira, e, estendendo para este trabalho, entre colonizado e colonizador. Além disso, o mito, operando a síntese entre o nacional e o universal provoca um colapso na idéia da construção da identidade nacio- nal. O trabalho também irá complexificar o ponto de vista da crítica literária que aponta que a cultura latino-americana é dependente das culturas ditas centrais. A mestiçagem e a antropofagia cultural produzem uma condensação entre culturas e povos, quebrando com a idéia de identidade nacional. A obra de Arguedas se caracteriza, então, pela mis- tura de estilos e culturas, refletindo a cultura do país onde ele vive.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.55647

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com