Les hébraïsmes et les slavismes du yiddish et la cristallisation d’une identité juive est-européenne

Cyril Aslanov

Resumo


No início do século XX, os defensores do ídiche procuraram estandardizar a língua segundo a norma “lituana”. Este projeto prático recebeu a sua legitimação científi- ca na obra monumental do eminente lingüista Max Weinreich que demonstrou que a co- existência dos vários sub-sistemas – o germânico, o hebraico, o eslavo – dentro do ídi- che obedecia a regras rigorosas e não tinha nada de macarrónico, como o insinuavam os detractores desta língua. Contudo, a abordagem esquemática de Weinreich não lo- grou explicar a correlação entre a considerável proporção de hebraísmos no ídiche e o forte impacto dos adstratos eslávos. Desde o ponto de vista diacrônico, a hebraização e a eslavização do ídiche podem corresponder a um período de inestabilidade no sistema lingüístico que aconteceu entre o final da Idade Média e o princípio dos tempos moder- nos. Este estudo trata do impacto conjunto da hebraização e da eslavização tanto desde ponto de vista interno do sistema da língua ídiche, quanto desde a perspectiva externa da sociolingüística.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.55645

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com