Os imigrantes alemães e seus descendentes no Brasil:a lìngua como fator identitário e inclusivo

Karen Pupp Spinassé

Resumo


O passado do Brasil como colônia portuguesa desenhou o desenvolvimento da história e da gente brasileira. Entretanto, as ondas migratórias de outros povos europeus também exerceram função inquestionável na formação da diversidade lingüística,  étnica, social, cultural e política característica do país. Os imigrantes alemães no Brasil, por exemplo, sofreram muitas vezes, durante o processo de adaptação e modificação (tanto de seu dia-a-dia como de sua língua), com aspectos negativos próprios de minorias estrangeiras: a exclusão identitária e o preconceito. Junto a razões geográficas e históricas, também fatores sociais contribuíram para esse quadro. O presente artigo visa a descrever esse processo através da lingüística, observando as fases distintas pelo qual passou. Como base, exemplo e fonte foram utilizadas pesquisas sobre o alemão falado atualmente no Brasil, traçando assim uma ligação direta entre língua, identidade e integração social. O trabalho mostrará como os fatores lingüísticos influenciaram e marcaram o processo integrativo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.55637

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com