A correspondência (quase secreta) de Theodoro – memória e silêncio, loucura e transgressão

Nádia Weber Santos

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar memórias e sensibilidades "à margem", isto é, mostrar o desdobramento de uma história de vida de um indivíduo ordinário (chamado Theodoro), hospitalizado de maio a setembro de 1937, no Hospital Psiquiátrico São Pedro de Porto Alegre (HPSP). Durante essa internação, ele escreveu muitas cartas e doze delas foram encontradas em seu prontuário médico. Dando um estatuto de literatura a essa correspondência, resgatamos sua história no hospital e sua busca por um lugar "no mundo”. Inteligente e muito culto, mas sofrendo de problemas identificados como "loucura" por sua família (imigrantes russos) – e por isso, confinado em hospício - ele deixou uma verdadeira obra literária em suas cartas. Além de sua história de vida, ele discutia, nestas missivas, o momento histórico do mundo (a Guerra Civil Espanhola, por exemplo), do Brasil, fazendo pequenas crônicas e críticas da sociedade, do clero, da economia brasileira. A memória familiar, seus silêncios e lembranças, correspondendo atualmente à geração de seus filhos e sobrinhos, são também analisados neste artigo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.55518

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com