A África no discurso colonial português

Regina Zilbeman

Resumo


O discurso colonial emerge nas primeiras produções épicas da literatura portuguesa, como os poemas de Luís de Camões (Os Lusíadas) e Jerônimo Corte Real (O naufrágio do Sepúlveda). Ele retorna, após a expansão do capitalismo no século XIX, na ficção de Eça de Queiroz (A correspondência de Fradique Mendes; A ilustre casa de Ramires), mas toma coloração particular na medida em que aquele romancista formula uma utopia para a África portuguesa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.55398

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com