OÁSIS OU MIRAGEM - A HIBRIDAÇÃO E ANTROPOFAGIA COMO PROCESSO DE CRIAÇÃO EM DANÇA.

Andréa Moraes Soares

Resumo


O que pode ser esperado da utilização de uma metodologia de composição coreográfica norte americana, vinculada a um estilo contemporâneo onde o material técnico de construção desta obra será uma dança oriental? Este artigo tem por objetivo refletir sobre a utilização da hibridação e antropofagia como processo de construção de uma obra de dança oriental e sobre a execução da dança em diferentes lugares geográficos, temporais, culturais e corporais e como estes fatores influenciam e são influenciados por meio da atualização de uma obra coreográfica. Para problematizar estas questões são utilizadas proposições de Mônica Dantas, Helena Katz, Hubert Godard e Nestor Garcia Canclini. O estudo relata um espetáculo de dança do ventre de repertório, realizado pela autora em 2010  a fim de discutir os problemas encontrados no decorrer da construção do espetáculo que utilizou-se destes processos durante sua concepção. A partir desta abordagem teórica e prática o artigo espera contribuir incitando a reflexão de que os processos antropofágicos, por mais fiéis que sejam ao objeto que os originou, sempre implicam em uma hibridação.


Palavras-chave


Hibridação: Antropofagia: Composição Coreográfica: Dança Oriental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.