Eu sou Beyoncé: uma reflexão-crítica sobre a performance artística Be_Once

Daniel dos Santos Colin

Resumo


Este artigo faz uma análise-crítica da performance artística BE_once, do grupo Teatro Sarcáustico (Porto Alegre/RS). A performance faz uma crítica à corpolatria ao confrontar duas ideias de modelo corporal: o “corpo canônico” e o “corpo dissonante” (FONTES, 2007). A partir da imagem corporal da cantora norte-americana Beyoncé, os performers remodelam seus próprios corpos através de artifícios como maquiagem, peruca e cinta modeladora, por exemplo.


Palavras-chave


Performance Art; Corpo Canônico; Corpo Dissonante; Corpolatria;

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.