O ÚLTIMO CARRO: UMA VIAGEM DE TREM COM JOÃO DAS NEVES NOS ANOS 1960/70

Kátia Paranhos

Resumo


Por vezes condenada como escapista, outras vezes incensada como ferramenta de libertação revolucionária, a arte, de modo geral, continua sendo um tema candente tanto na academia como fora dela. Este trabalho aborda as múltiplas faces de João das Neves, autor de O último carro, espetáculo que deveria ser apresentado pelo Grupo Opinião em 1968 e só encontrou lugar e tempo propício para sua encenaçãoem 1976. O eixo de análise aqui proposto consiste, de certa forma, em tentar iluminar diferentes maneiras de se fazer teatro no Brasil, no caso, pelas bordas. Afinal, o diretor, recentemente falecido, se notabilizou pelo engajamento político ou “legítimo”, como lembra Eric Hobsbawm noutro contexto, dando vazão à capacidade de lançar ideias e desafios, em plena ditadura militar, propondo então indagações que ecoam até os dias de hoje.

 



Palavras-chave


João das Neves; Engajamento; 1968; Dramaturgia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.88006





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380