“AQUILO QUE NÃO SE PODE FALAR, É ISSO QUE É PRECISO DIZER” A LINGUAGEM EM WITTGENSTEIN E NOVARINA

Lígia Souza de Oliveira

Resumo


O artigo “Aquilo que não se pode falar, é isso que é preciso dizer” a linguagem em Wittgenstein e Novarina faz parte da pesquisa de doutorado em elaboração na Universidade de São Paulo. O dramaturgo franco-suíço Valère Novarina afirma em sua obra teatral que a palavra opera a partir do conceito de chamamento. Para ele, a nomeação como linguagem ostensiva indicada por Santo Agostinho dá lugar ao processo provisório e transitório de relação entre a palavra e a significação, através do chamamento. Para aprofundar essa concepção, realizaremos neste estudo uma apresentação da obra do filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein evidenciando uma ligação estreita entre a sua noção de jogos de linguagem e a concepção novariana de chamamento. Reconhecendo a relevância dos escritos de Wittgenstein para a filosofia da linguagem e a necessidade de aproximar suas conceituações da linguagem teatral, este artigo pretende apresentar conceitos chaves da segunda fase do filósofo e também contribuir e aprofundar o entendimento de algumas concepções teatrais e dramatúrgicas elaboradas por Novarina.


Palavras-chave


Valère Novarina; Ludwig Wittgenstein; dramaturgia contemporânea; filosofia da linguagem;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.74379





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380