CORPOS DE AFETO: FESTEJOS DO VALE DO JEQUITINHONHA E O PROCESSO CRIATIVO “VALE DA ESPERANÇA"”

Mariana Floriano, Graziela Estela Fonseca Rodrigues

Resumo


Este artigo trafega pelas terras mineiras do Vale do Jequitinhonha e revela o Boi-Janeiro de Maria Coqui, com seu rico manancial social e afetivo, como parte de um processo de desenvolvimento artístico no Método Bailarino-Pesquisador-Intérprete (BPI) e da criação cênica do espetáculo “Vale da Esperança”. Apresenta um estudo corporal do festejo do Boi-Janeiro em intrínseca relação com a manifestação religiosa dos reiseiros da família Coqui. Aponta para o que emana no corpo do intérprete quando esta coabita com pessoas em que a resistência cultural é latente.

Palavras-chave


Bailarino-Pesquisador-Intérprete; Artes da Cena; Dança do Brasil; Boi-Janeiro;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.74217





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380